Sinduscon
Login
Senha
COMAT
Economia perde força no trimestre, mas termina 2018 com expansão
Publicada no dia 15/02/2019 às 15h33
SÃO PAULO - A atividade econômica brasileira registrou expansão em 2018 pela segunda vez seguida, mas a um ritmo ainda morno com perda de força no fim do ano que destaca a dificuldade de recuperação, de acordo com dados divulgados pelo Banco Central nesta sexta-feira (15).

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) cresceu 1,15% no ano passado, em números observados, ante crescimento de 0,93% em 2017.

Em dezembro, o índice avançou 0,21% na comparação com o mês anterior, em dado dessazonalizado, desacelerando ante a taxa de 0,29% em novembro. Esta é a segunda alta mensal consecutiva do índice, após uma série de dois meses de queda.

Assim, o IBC-Br terminou o quarto trimestre do ano com crescimento de 0,20% sobre o terceiro trimestre, também em número dessazonalizado. A leitura mostrou que a economia perdeu força no final do ano depois de ter avançando 1,68% no trimestre entre julho e setembro.

No segundo trimestre, o IBC-Br recuou 0,67% sobre o período anterior, em um momento em que a economia sofreu as consequências da greve dos caminhoneiros que paralisou a atividade por vários dias em maio, depois de avançar 0,10 por cento nos três primeiros meses do ano.

"O IBC-Br confirmou o diagnóstico de desaceleração da atividade econômica no último trimestre do ano passado. Esses resultados, em conjunto com os demais indicadores já conhecidos, reforçam nossa expectativa de crescimento de 0,1% do PIB no quarto trimestre de 2018", apontou o banco Bradesco em relatório.

Os dados oficiais do PIB em 2018 serão divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 28 de fevereiro. De acordo com economistas consultados pela pesquisa Focus do BC, a projeção é de um crescimento do PIB de 1,25% em 2018, acelerando a 2,50% este ano, após expansão de 1,1% em 2017, segundo os números do IBGE.

A leitura do IBC-Br ratifica o cenário de economia em ritmo moderado em um ano marcado pela greve dos caminhoneiros, desemprego ainda elevado e expectativas em torno da eleição presidencial.

A esperada melhora do mercado de trabalho e do consumo doméstico, além do aumento do crédito, dependem da manutenção da agenda de reformas e ajustes da economia pelo governo.

Em 2018, a produção industrial terminou com ganho de 1,1%, porém mostrando desaceleração em relação ao ano anterior.

O varejo, por sua vez, fechou 2018 com o maior avanço em cinco anos, embora tenha contraído com força em dezembro. Mas os serviços foram na contramão e tiveram perdas no ano passado pela quarta vez seguida.
Fonte: Folha de São Paulo
Comentários
Seja o primeiro a comentar essa notícia.
Escreva seu comentário
Nome:
Email:
Comentário:
Código de verificação
Outras notícias
https://www.sinduscon-ba.com.br
@Sindusconba Adicionei um vídeo do @YouTube como favorito http://t.co/5pZ0r75j CONSTRUÇÃO CIVIL: quantidade de empregos do
Enviado em: 28/02/2012 | 20:16:41
@Sindusconba SINDUSCON–BA promove Curso de Planejamento de Obras em março - http://t.co/Z8up7NCQ.
Enviado em: 28/02/2012 | 19:11:39
https://www.sinduscon-ba.com.br
https://www.sinduscon-ba.com.br
Campanha Associativismo
Governo contratará 40 mil moradias da faixa 1,5 do Minha Casa Minha Vida
Nova Sede do SINDUSCON-BA
SINDUSCON-BA: saiba mais sobre construção civil
SINDUSCON-BA - Sindicato da Indústria da Construção do Estado da Bahia
ENDEREÇO - Rua Minas Gerais, 436, Pituba • CEP: 41830-020 - Salvador-BA.
TELEFONE:(71) 3616-6000 • Fax: (71) 3616-6001 • E-mail: secretaria@sinduscon-ba.com.br
2010 - 2019. Sinduscon. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital